TELA DE SALVADOR DALÍ

TELA DE SALVADOR DALÍ

Poemas Eróticos de Carlos Drummond de Andrade

Das infinitas faces que um poeta pode ter, Carlos Drummond de Andrade, de muito bom grado, dispôs-se a mostrar-nos ao menos sete. Sacramentadas. Esses lados, essas faces, não são simples traços de estilo, certamente nem convicções quanto às formas, são algo além disso: o homem Drummond, o corpo além do poeta e, como todos os demais corpos, susceptível às passagens, mudanças e afetos do tempo. Sua passagem nos recoloca, nos reescreve e, no poeta mineiro, haveria de fazê-lo admitir uma derrota diante de suas consumições eróticas. Nos conflitos entre as dores, a morte e a vida, o sexo aparece como peça atraente, extrapolação da vida em direção ao fim sem que necessite ser, de fato, o fim.

CONTINUE A LEITURA SOBRE A POÉTICA ERÓTICA DE DRUMMOND,  EM:


VÍDEOS: [O AMOR NATURAL-1], [O AMOR NATURAL-2]
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Statistics